quarta-feira, 21 de maio de 2008

PRECONCEITO DE QUEM??

Escrito por Loupee

A idéia pra esse tópico começou aqui:

http://www.furrybrasil.org/viewtopic.php?f=1&t=9407&st=0&sk=t&sd=a

É um tópico já relativamente antigo, por isso não quis "reupar" e reabrir uma discussão visivelmente dada por encerrada, apesar do assunto ser básicamente o mesmo, mas com um outro enfoque.

Falou-se ali sobre a criação de um síbolo para os furries, e sobre o risco desse mesmo símbolo acabar virando uma "arma" nas mãos de gente que nutre preconceitos contra o furdon.

Vamos começar do príncipio? O que é preconceito pra você? De onde ele vem?

Preconceito é uma coisa que começou lá na pré-história. O ser humano teme o que não conhece, isso é o básico dos instintos humanos. E se reconhece que não pode lhe fazer mal, mas pode roubar seu espaço (a comida de um território em tempos antigos, vagas de emprego nos dias atuais -POR EXEMPLO-), agride na tentiva de que se afaste.

A intricada fórmula da coisa foge completamente dos meus conhecimentos, eu não sou psicóloga nem quero ser, mas começa mais ou menos por ai.

E o que sofrem as vitimas do preconceito?

Alguns lutam. Outros se valem valer de outras "qualidades", nem sempre nobres, para tentar ganhar seu espaço ao sol. Um exemplo clássico é o "se fazer de vítima", o que me leva a questão que quero levantar.

Não que eu esteja generalizando, mas boa parte dos furries mais jovens ADOOOOOOOOOOOOOOOOORA, e um ADOOOOOOOOOOOORA todo cheio de purpurina, rímel e franjinha pro lado, se alegar um injustiçado pela sociedade, bradando aos quatro ventos que não é um ser humano, odeia a raça humana, é um ornitorrinco em corpo de homo sapiens amaldiçoado com esta encarnação humana modorrenta.

Eu tenho uma coisa pra contar pra vocês:

PAPAI ERA UM HUMANO, BOTOU UMA SEMENTINHA NA BARRIGA DA SUA MÃE HUMANA, PRA VOCÊ NASCER UM HUMANINHO!

Eu fico me perguntando se a maioria das pessoas que não gosta de furries por acaso não entrou aqui, por N motivos, leu alguma coisa do nível, viu outros consolando e consolidou a idéia de que somos todos fur fags dentro da sua cabeça sugestionável.

Eu entrei no FB por causa de um anime chamado Wolf's Rain, que foi citado pelo Reyres num tópico também meio indignado. Eu não vou discutir crenças pessoais e religiosas com ninguém, quando eu tentei fazer isso quase ninguém entendeu, mas eu digo: tenha lobos, tigres, coelhos, kitsunes, corvos (just as me) dentro de você, uma vez você estando no fandon as pessoas já fazem alguma idéia disso.

Quer explicar como se sente com relação á sua fursona? Abra um tópico explicando, faça uma poesia, poste um desenho, MAS NÃO FIQUE CHORAMINGANDO EM TÓPICOS QUE NÃO TEM NADA A VER APENAS PARA CHAMAR A ATENÇÃO.

Com relação ao yiff e á idéia de que todo o furry é zoofilo, my dears, otakus também passam por isso. Quando publicações de mangá começaram a surgir nas bancas brasileiras, junto com elas vieram os hentai, muitas vezes sátiras brazucas de séries que passavam na TV.

Quando meu pai me viu com uma fita VHS com uma Sailor Moon na capa, tomou das minhas mãos dizendo que aquilo não era coisa pra criança. Porque? Porque ele tinha visto uma mocinha identica com os peitos de fora na capa de uma revista.

Hoje em dia o preconceito contra os fãs de anime é mais leve, e se surge pega mais pro lado da nerdice mesmo, muito graças aos benditos fãs de Naruto(eu gosto de Naruto, que isso fique claro)que fazem questão de ostentar uma bendita bandana na testa 24 horas por dia, seja pra ir na escola ou no batizado da priminha, mas isso agora não vem ao caso.

O que eu estou tentando dizer é: faça como eu fiz, como alguns vários amigos meus fizeram: tente mostrar pras pessoas que não é só pornografia. No meu caso, eu liguei a TV e mostrei pro meu pai que passava ás cinco da tarde e não tinha mulher pelada. Não temos desenhos furries? Mickey e Cia. são o que? Passa todo dia na Globo, pra crianças de 3 a 30 anos verem.

Se não soubermos dialogar, não vai ter jeito. E também não adianta botar a culpa na sociedade.Aliás, o que é sociedade? Se a sua resposta for "um bando de pessoas que não me aceitam", you fail.

Sociedade é o mundo em que vivemos, as pessoas que nos cercam. Algumas não valem a pena pra se ter perto, mas outras valem muito. Ninguém é obrigado a entender o que é furry, mas ficar sem graça e não saber explicar não vai ajudá-las a conhecer melhor o fandon.

Enquanto não tivermos orgulho do que somos e não metermos a cara pra fazer as pessoas saberem disso *ajoelha e paga reverência pra um certo lobo*, sem brigar, sem matar ninguém em cemitérios ou destrinchar o peito de alguém num ato de canibalismo porque "eu sou um lobo e estava com fome". Sim, lembraram, né? RPG. Globo. Notícias geram grana. Talvez algum dia venhamos a sofrer com isso, como os RPGistas já sofreram muito, mas não passou também?

Não dá pra ter medo. Uma coisa que ser RPGista me ensinou foi que nunca devemos ter medo de explicar, pra ninguém. E todo RPGista iniciante quer ter mais e mais colegas de mesa, porque assim o jogo fica mais divertido. E quando me viam com o Livro de Nod nas mãos (quem já viu sabe que a arte da capa é tenebrosa, virou até "livro de magia negra" nas cameras da Globo), eu não saia dizendo que era um manual de bruxaria, e sim, que era parte de um jogo. E isso deixava as pessoas curiosas. Nem sempre dava certo, mas muitos eu conquistei, o segredo é que enquanto eu tive fôlego pra isso, eu nunca parei de tentar.

Se a minha mãe me perguntasse o que é RPG, ou o que eu estava indo fazer com um bando de meninos madrugada a dentro, e eu começasse a tremer e enrolasse na resposta, ela não teria confiança em mim pra aceitar essa minha nova mania.

Se quando descobrirem que você é furry, começarem a te zuar, e você esquentar, ou se encolher num canto, ou não souber dar uma resposta adequada, as pessoas não pegam confiança e vão achar que é uma coisa deturpada mesmo.

A resposta pra dar? Não existe uma resposta certa, uma vez que a definição de furry acaba sendo muito pessoal pra cada pessoa, mas terminantemente não é "pessoas que sofrem por terem animais presos dentro delas". O máximo que tenho preso dentro de mim são gases, pleezee. A minha visão pode ser diferente da sua que está lendo isso agora, mas o importante é ter firmeza no que você é e na hora de explicar ao incauto "não-furry" do que ela se trata, não ficar se borrando pra dizer nem fazer o pobre infeliz se borrar de medo (ou de rir). Quem pergunta não é pra ofender. É porque não conhece.

Concluindo porque eu já escrevi demais:

1) Preconceito sempre existiu, e sempre existirá. É o equilibrio do mundo. Se os negros se libertaram da escravidão não seremos nós a ficar eternamente presos dentro dos confins da internet.

2) Você é um ser humano, e se não gosta disso vá viver no meio do mato(sem internet, thus). Falar da raça humana como um algo á parte dos furries nós torna TÃO PRECONCEITUOSOS QUANTO O PRECONCEITO QUE NOS FERE. Além de ser ridiculo.

3) Chorar seu lado animalesco reprimido não vai mudar o mundo. Nem te tornar mais querido por ninguém.

4) Yiff sempre vai existir. Sim, pessoas solitárias gostam de coisas relativas á sexo, e tanto trekkers, quanto otakus, quanto furries usualmente o são. É só exibir ponderadamente que não se trata apenas disso, e isso não acontece da noite para o dia.

Como chegamos nisso eu não sei. Mas eu pelo menos quebrei em parte o preconceito de UMA pessoa. E me sinto imensamente feliz por isso.

[]'s.

Loupee

2 comentários:

Loupee disse...

-ANTES DE MAIS NADA ISSO É APENAS UMA CRITICA. EU SEI QUE TAMBÉM NÃO VOU MUDAR O MUNDO, MAS NÃO SOU PROIBIDA DE ME EXPRESSAR-

Esse comentário a principio era pra ter virado tópico lá no FB, mas eu achei agressivo demais pra isso, então pedi pro Setzer postar aqui, já que o blog é meio que destinado a esse tipo de crítica mesmo.

Mas dado á esse fato algumas infos podem ter ficados confusas. Quando eu digo "entrou aqui", eu me refiro ao FB. Porque eu se não conhecesse furry e visse certos comentários fugiria mesmo.

Jairo disse...

Excelente post, Loupee!
Apesar de haver Furries que se sentem como animais enjaulados em corpos humanos (Hummm, isso me lembrou outra coisa, mas não vou pôr aqui pra não ser ofensivo), há também Furries que estão no Fandom por gostar de figuras zooantropomórficas, como se gosta de ler um mangá ou assistir a um animê. Ou por várias outras razões que não vou enumerar aqui pra não roubar espaço.
Preconceito sempre existirá, em maior ou menor tom. Negar isso é não ver o que se passa ao seu redor. O que nós, Furries, temos que fazer é evitar que esse foguinho chato acabe queimando geral por causa de uma palavra que virou "gasolina" no ouvido alheio.